IDDAB: PADRE TONINHO, UM ANCESTRAL AFRO-AFRICANO

A despedida de um missionário negro

Ao longo desta década durante vários momentos procuramos a redação deste jornal para divulgarmos eventos importantes para da Pastoral Afro da Arquidiocese de São Paulo, assim como também, da Pastoral Afro Brasileira – CNBB. Agora venho utilizar este veículo de comunicação para divulgar à Igreja de São Paulo um acontecimento que muito entristeceu a nossa Arquidiocese, o falecimento no último dia 17 de dezembro às 21h30 do nosso querido Pe. Antônio Aparecido da Silva – Pe. Toninho. Sacerdote orionita, que ao longo de 33 anos de sacerdócio, dedicou sua vida à luta em favor dos pobres especialmente ao povo negro brasileiro. Como negro assumiu as dores da sua etnia e, nos representou da maneira mais honrada. Para falar sobre o trabalho missionário do Pe. Toninho seria necessário uma tese de doutorado, mas é possível, no entanto, relembrar aqui que ele, foi um dos precursores do movimento negro no Brasil, que resultou na criação do Movimento Negro Unificado – MNU e na Pastoral Afro.  Foi Reitor do Itesp – Instituto Teológico de São Paulo, onde também foi professor, além de ter lecionado na FAI e na PUC – Campinas. Membro da Conferência dos Religiosos do Brasil – CRB, da Soter, membro fundador da Pastoral Afro da CNBB, membro fundador do Grupo Atabaque – cultura negra e teologia, membro fundador do IMA – Instituto Mariama de Padres e Bispos Negros do Brasil, Pároco da Igreja de N. Sra. Achiropita, Provincial da Pequena Obra da Divina Providência – Dom Orione e principal articular da Campanha da Fraternidade de 1988: Povo Negro – houbi o clamor deste povo. Recebeu varias comendas, e destacamos a de cidadão do Bixiga e Paulistano, entre outros títulos recebido ao longo de sua vida. Mas apesar de toda esta trajetória, Pe. Toninho foi uma pessoa que sempre dedicou uma atenção e um carinho especial com os mais pobres e humildes, honrando assim o projeto de São Luís Orione, fundador da sua família religiosa. Por isso mesmo, após sua morte, durante o velório, com a presença de padres de todo estado de São Paulo e de outros estados, o bispo de Bauru que presidiu a missa de corpo presente, familiares, amigos, paroquianos e representantes de entidades civis e religiosas, além de autoridades públicas da cidade de Osasco, de Cotia e da cidade que o adotou: Parapuã; teve, apesar do sentimento de perda dos presentes, um clima de alegria. Durante o seu sepultamento alguns dos presentes se manifestaram, de maneira muito livre, discorrendo sobre suas ações junto aos organismos sociais e suas homilias, destacando o jeito simples de ser deste profeta. Pessoalmente estamos tristes, mas o nosso coração está em festa, testemunhamos a Glória do Zumbi de batina que está celebrando no Quilombo Páscoa. Pe. Toninho por tudo que ele fez, continua presente através do trabalho realizado na Igreja do Brasil e da América Latina, por isso recordemos textualmente um dos seus ensinamentos: “é preciso, ainda que tardiamente ir às ações concretas, respaldadas por POLÍTICAS AFIRMATIVAS,  amplas e contextuais que possibilitem minimamente reparações diante das funestas heranças”. Axé aos companheiros e companheiras de caminhada!

Conceição dos Santos

Integrante do Grupo Atabaque e da Paróquia N. Sra. Achiropita

Anúncios

Cidadania Africana: 2.700 anistiados no Brasil !

Brasil anistia 41.816 estrangeiros em situação irregular

VANNILDO MENDES – Agencia Estado

BRASÍLIA – Procedentes de 130 nações de todos os continentes, 41.816 estrangeiros em situação irregular no Brasil acabam de conseguir anistia, conforme balanço divulgado hoje pelo Ministério da Justiça. Mais de 40% deles são bolivianos (16.881). Parte deles sobrevivia em condições de mão de obra semiescrava e era alvo de quadrilhas de traficantes. O segundo lugar no ranking ficou com os chineses (5.492), seguidos por peruanos (4.642), paraguaios (4.135) e coreanos (1.129).
O principal destino dos estrangeiros é São Paulo, onde se fixaram 34 mil imigrantes ilegais, ou mais de 80% do total, em busca de oportunidades de trabalho. O segundo Estado mais procurado foi o Rio de Janeiro (2,4 mil), seguido por Paraná (1,5 mil). O Nordeste, sobretudo a zona litorânea do Ceará, Bahia e Pernambuco, também atraiu bom número de imigrantes, principalmente empreendedores do setor turístico, como donos de pousadas, restaurantes e bares.
A anistia – a quarta que o governo concede desde os anos 1980 – foi instituída em julho de 2009 por decreto presidencial. Teve direito ao benefício quem entrou no País, mesmo por meio ilegal, até 1º de fevereiro de 2009. O visto de permanência concedido é provisório e, após dois anos, será convertido em definitivo, podendo se transformar em cidadania plena, se o imigrante o desejar.
O prazo terminou no último dia 30 de dezembro e, como muitos deixaram para fazer o pedido na última hora, a PF distribuiu cerca de 4 mil senhas aos retardatários, que serão atendidos nas próximas semanas. A previsão é que o total chegue a mais de 43 mil, estimou o ministro interino da Justiça, Luiz Paulo Barreto. Antes, a anistia mais recente foi a de 1998, que beneficiou 39 mil pessoas.

Primeiro mundo
Desta vez, surpreendeu as autoridades a quantidade de europeus (2.390) que pediram o benefício, muitos deles vindos de países do chamado primeiro mundo, como Inglaterra, França, Itália e Alemanha. O número de europeus anistiados ficou próximo do total de africanos (2.700), que historicamente ocupavam o topo da imigração.
Em meio à crise que assola a maior economia do mundo, 274 norte-americanos também trocaram seu país pelo Brasil. A lista inclui ainda 186 cubanos, que entraram clandestinamente no Brasil. Apesar da crise aguda que afeta a Argentina há anos, apenas 469 “hermanos” pediram o visto de residência brasileiro.
Todos os anistiados passam agora a gozar dos mesmos direitos civis dos brasileiros, como o de livre circulação, de trabalho e acesso à saúde pública, educação e assistência social. Mas direitos políticos, como votar e ser votado, só poderão ser alcançados se eles optarem pela cidadania definitiva, após dois anos de residência provisória sem cometimento de crime.

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,brasil-anistia-41816-estrangeiros-em-situacao-irregular,491657,0.htm

Outras:

http://oglobo.globo.com/pais/mat/2010/01/06/governo-concede-anistia-41-mil-estrangeiros-915478617.asp

http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI4190346-EI306,00-Brasil+anistia+quase+mil+estrangeiros+ilegais.html

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2010/01/07/brasil,i=164971/DOS+41+800+ESTRANGEIROS+QUE+REGULARIZARAM+RESIDENCIA+NO+BRASIL+MAIS+DE+16+MIL+SAO+DA+BOLIVIA.shtml

“Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender e, se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar.”

(Nelson Mandela)

Gostaríamos de agradecer  a todos que nesse ano que passou nos ajudaram a multiplicar essa difícil, mas gratificante tarefa, de ensinar o respeito, o amor e a solidariedade à sociedade para que acolha os nossos irmãos imigrantes africanos com dignidade.

Esses são os nossos mais sinceros votos de gratidão!

Boas festas!

Feliz 2010!