Cerca de 96% do eleitorado do sul do Sudão vota a favor da independência

CARTUM – Cerca de 96% do eleitorado da região autônoma do sul do Sudão votou a favor da independência na consulta realizada entre 9 e 15 de janeiro, segundo o escritório do referendo do sul do Sudão.

O chefe deste departamento disse em declarações à televisão sulina que 2.198.422 pessoas votaram a favor da independência nas dez províncias meridionais, o que representa 96% do eleitorado.

Além disso, afirmou que o número de eleitores superou o mínimo fixado pela legislação eleitoral para que o resultado da consulta fosse válido, que era de 60%.

Um total de 3,5 milhões de sudaneses originários do sul ou residentes na região desde 1956 foram convocados às urnas para decidir se permaneciam vinculados ao resto do país ou optavam pela secessão.

Por sua vez, o porta-voz oficial da comissão do referendo do Sul do Sudão, Suad Ibrahim Issa, anunciou também em entrevista coletiva em Cartum os resultados preliminares da votação dos cidadãos sulinos que residem nas 15 províncias do norte do país.

O escritório do referendo está ligado à comissão, mas tem sua sede em Juba, a capital do sul do Sudão, enquanto o segundo funciona em Cartum.

Segundo Issa, das 69.597 pessoas que votaram no norte, 38.003 apoiaram a secessão, enquanto 27.918 foram a favor de se manter a unidade com o norte.

Já dos 60.219 eleitores sulinos que residem em oito países, a maioria vizinhos do Sudão, 57.048 votaram a favor da independência, enquanto apenas 841 se manifestaram a favor da unidade.

Se não houver mais impugnações, os números oficiais finais do referendo serão divulgados em 7 de fevereiro. Caso contrário, os resultados devem ser anunciados no dia 14.

O referendo é fruto dos acordos de paz assinados entre o norte e o sul do Sudão em 2005, após duas décadas de uma guerra que deixou dois milhões de mortos.

O conflito do sul do Sudão eclodiu em 1983, quando o regime de Cartum impôs a lei islâmica em todo o país, e os insurgentes do sul, de maioria cristã e animista, pegaram em armas.

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s